Uncategorized

O Sapo encantado

“Não escondas a beleza que há em ti“— disse-me ele!

Meninas espertas não se apaixonam facilmente, não se deixam levar por palavras bonitas ou aparências atraentes.

Pois é, a Gisela que é tão esperta mas também tão ingénua acabou se apaixonando, ou melhor amando a pessoa mais improvável.

Eu estava de bem com a vida, de tanto ler contos de fadas acreditei naquele amor do tipo ”para sempre”, que passa por todo tipo de dificuldades e vence como um herói perseverante.

Mas ele é tudo que eu nunca sonhei, ele é alto, tem o corpo robusto e definido, sua pele é negra no tom castanho chocolate. Mas isso não era nada,  para mim era mais um janota sem nada para contar. E essa foi a armadilha, o seu exterior era nada comparado com a Pessoa que ele é por dentro.Ele é Calmo, super calmo com aquele olhar misterioso  que despe a alma, causa timidez até na pessoa mais extrovertida (eu, no caso), inteligente e sábio, homem e menino ao mesmo tempo e tem muita graça. Uma empatia repentina surgiu, estávamos numa palestra na Universidade Apolitécnica, e ele fazia parte da equipe organizadora, eu como jornalista ia fazer uma matéria sobre o evento; eu precisava de mais detalhes sobre o evento e procurava alguém da organização que as pudesse dar… dei então de caras com o Lucas que prontamente me atendeu, (O nome dele estava escrito no crachá), eu cumprimentei e perguntei sobre o evento, ele educadamente respondeu, eu agradecí, e continuei a trabalhar.

O evento aconteceu numa sexta-feira e no sábado havia um cocktail em casa do meu amigo Miguel, quando cheguei ví que  coincidentemente o Lucas lá estava e fiquei a saber que ele é amigo do Miguel que nos apresentou; ficámos a noite toda a conversar, terminado o cocktail o Lucas fez a gentileza de me levar para casa, e durante o caminho conversàmos mais.

O tempo passou, a amizade crescia e o sentimento que por muito tempo eu negava para mim mesma, também (Tolinha, não se pode esconder a verdade de sí mesma). Numa dessas visitas nocturnas, estávamos nós no jardim de casa, parados a luz do luar numa daquelas conversas profundas sobre a vida, eu tomei a coragem de me declarar, falei que estava apaixonada por ele mas que aquilo não alterava nada na nossa amizade. Ele olhou para mim com aquele olhar misterioso, sorriu e disse que já sabia — senti-me parva e rimos daquela situação; De repente um silêncio carente entre nós, olhámo-nos nos olhos,  a mão dele estava na minha cintura e os meus lábios deslizaram do pescoço até a boca dele num acto vulcânico com o universo testemunhando aquele momento (Foi apenas um beijo oh romântica). Eu estava tão feliz, por estar apaixonada e por começar um novo relacionamento.

Algum tempo passou,  e o Miguel, que eu não via há bastante tempo, me veio visitar à casa; conversamos sobre como a vida nos corria bem e eu contei a ele que estava com o Lucas . O Miguel olhou para mim em choque e disse: “o Lucas namora com uma prima minha e eu esqueci-me completamente de te contar, Gisela ”, naquele instante,  tudo mudou, meu mundo desabou, a Pessoa incrível por quem eu estava completamente apaixonada — tem namorada, a quem ele faz questão de mostrar para toda gente, menos para mim — a outra .

Senti-me tão usada, burra e magoada. Eu chorei com pena de mim mesma, era tudo tão perfeito e falso, apenas eu era “de verdade” naquela relação. Fiquei cerca de duas semanas sem falar com ele, quando ligava-me cancelava as chamadas, não respondia as mensagens,dei ordem ao segurança para dizer que eu não estava  sempre que ele me viesse visitar. Eu precisava de um tempo para mim, e foi numa madrugada de sexta-feira que mandei-lhe uma mensagem a dizer que precisava de conversar com ele, e que estaria em casa no domingo a partir das 15 horas. Ele disse que viria.

E realmente chegou antes da hora marcada. Nesse encontro eu tive a coragem de olhar nos olhos dele e falar :Lucas  por quê não disseste que não era verdadeiro e tens namorada ? por quê fingiste ser algo que não eras e me usaste sabendo que estava apaixonada e não te importaste com isso? Por quê? Fala comigo por favor ( Falei com raiva e chorando, enquanto ele permanecia calmo e sem a coragem de me olhar nos olhos) – “Gisela tu és uma mulher incrível e eu fiquei encantado logo no primeiro dia que te ví, tua maneira de ser, tuas conversas, bom humor sem contar no corpo lindo que tens eu não resisti, nem o homem mais fiel do mundo resistiria, e quando disse para não esconderes a beleza que há em ti era verdade, acredita! Perdoa-me quando puderes. Eu gosto de tí e quero ficar contigo, mas não posso deixar a minha namorada.

Eu fiquei mais chateada ainda pela falta de carácter, traição é uma escolha pensada e analisada, ele só queria satisfazer o ego e as necessidas sexuais e afectivas. Que Nojo!

Após aquele momento eu já o havia perdoado sem ele ter pedido perdão, sim aquele pedido de desculpas foi falso por que o comportamento não mudou, quer dizer que as pessoas machucam para pedir perdão? Mas eu perdoei por que eu precisava de paz interior.

Por um momento senti-me culpada, por que apesar de tudo eu criei a expectativa e me deixei levar, dizem que o amor é cego, mas não, a paixão é cega e o amor é racional. O Tempo passou e eu sentia muita falta dele, mas onde falta o amor de outrem o amor próprio se faz sentir.

Com isso vi que o amor liberta, eu amo tanto ele que deixei ele ser feliz com outra, desde que haja felicidade mesmo que essa mesma não implique a minha presença, porque não é uma questão de posse, mas sim de incondicionalidade.

E quanto ao amor do tipo ”para sempre” — ele existe , é aquele que temos por nós mesmos;  por mais que as pessoas sejam passageiras, ele é permanente e mesmo que as pessoas sejam permantes ele sempre se faz sentir . Amor é bondade, dar sem esperar nada em troca, é um acto altruísta que mesmo maltratado continua vivo, por que a vida é amor e amar é poder.

Por isso serei feliz para sempre, e irei beijar muitos sapos até encontrar o sapo encantado !

Anúncios

7 comentários em “O Sapo encantado”

  1. Olá Melissa, gostei do texto é SUPER. Gostei mais da maneira como montaste o enredo. No entanto, tens de tomar atenção nalquns pontos:
    1. O uso do ponto e vírgula (se fazes o uso tens de continuar o parágrafo com letra minúscula);
    2. Porque≠Por que, como também Por quê≠Por que
    Ex: Por que gostas do João? R.: Eu gosto do João porque ele é lindo.
    Ex: Tu não foste à escola por quê?
    3. Sempre que usares a adversativa “mas”, tens de pôr a vírgula antes, OK que existem excepções
    4. Tem atenção a algumas palavras “vi” não tem acento gráfico, é apenas tónico.

    De resto, vais bem e força mocinha, vais longe.

    PS: desculpa pelo uso do “tu”.

    Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s